Pesquisa diz que um refrigerante por dia aumenta risco de diabetes – Notícias – UOL Notícias

Pesquisa diz que um refrigerante por dia aumenta risco de diabetes – Notícias – UOL Notícias.

Beber uma ou mais latas de refrigerantes por dia aumenta o risco de diabetes na vida adulta, de acordo com um estudo europeu publicado na revista britânica Diabetologia.

A pesquisa parece confirmar estudos americanos sobre o mesmo tema.

De acordo com seus coordenadores, do Imperial College London, quem bebe uma lata por dia de refrigerante sem ser diet tem um risco de desenvolver diabetes 20% maior do que quem consome uma lata ou menos por mês.

“E para cada lata de refrigerante que um indivíduo bebe por dia, o risco de diabetes aumenta mais”, disse à BBC a pesquisadora Dora Romaguera, do Imperial College London.

A pesquisa foi realizada a partir de dados coletados no Reino Unido, Alemanha, Dinamarca, Itália, Espanha, Suécia, França e Holanda. Nela, cerca de 350.000 pessoas foram questionadas sobre sua dieta.

“Dado o aumento do consumo dessas bebidas na Europa, concluímos que é preciso dar à população informações claras sobre os seus efeitos sobre a saúde”, conclui a pesquisa, que indica que o consumo de suco de frutas não tem o mesmo efeito o de refrigerante com açúcar.

Calorias

Matthew Hobbs, diretor de pesquisas da organização Diabetes UK, ressalta que a ligação entre refrigerantes e diabetes tipo 2 é observada mesmo quando o índice de massa corporal é levado em conta. Ou seja, o risco de desenvolver diabetes é maior mesmo em pessoas magras que consomem uma lata diária de refrigerante.

Segundo Hobbs, isso sugere que esse risco não estaria ligado ao fato de que quem consome a bebida estar ingerindo muitas calorias, embora mais estudos sejam necessários para comprovar isso.

“De qualquer forma, recomendamos um limite no consumo de alimentos e bebidas açucarados porque, por serem ricos em calorias, eles podem levar a um ganho de peso. E sabemos que a manutenção de um peso saudável é muito importante para se evitar a diabetes tipo 2”, diz Hobbs.

Patrick Wolfe, da University College London, enfatiza que os refrigerantes açucarados são apenas um entre muitos outros fatores de risco para a diabetes tipo 2.

“Mas já que esse é um risco que podemos facilmente eliminar – trocando os refrigerantes com açúcar por refrigerantes diet ou, melhor ainda, cortando os refrigerantes de nossa dieta, faz sentido fazer isso”, opina.

viaPesquisa diz que um refrigerante por dia aumenta risco de diabetes – Notícias – UOL Notícias.

Deficiência de Vitamina D

O que é deficiência de vitamina D?

Isso ocorre quando os níveis de vitamina D no corpo estão insuficientes. A deficiência de vitamina D deve ser tratada, porque ela é necessária para a absorção de cálcio e outras funções importantes no corpo.

As pessoas que não têm níveis adequados de vitamina D podem ter:

  • ossos fracos, que podem sofrer fraturas com maior facilidade ou mudar o formato
  • fraqueza muscular, levando a maior risco de queda

Há um exame para identificar a deficiência de vitamina D?

Sim. Há um exame de sangue que mede o nível de vitamina D. As pessoas com maior risco de deficiência de vitamina D são aquelas que:

  • passam a maior parte do seu tempo dentro de casa ou de ambientes fechados.
  • têm problemas médicos (como a Doença Celíaca) que podem reduzir a absorção de vitamina D
  • têm osteoporose, que é uma doença que causa ossos fracos
  • apresentam fraturas ósseas com facilidade, como após uma queda simples

Quais são os alimentos que contêm vitamina D?

Os alimentos e bebidas que contêm uma grande quantidade de vitamina D incluem:

  • Leite, suco de laranja ou iogurte com adição de vitamina D
  • Salmão
  • Atum enlatado
  • Cereais com adição de vitamina D
  • Óleo de fígado de peixe

Nosso corpo é preparado para produzir vitamina D quando exposto ao sol.

O que são suplementos?

Suplementos são comprimidos, cápsulas ou líquidos que tenham nutrientes. Os suplementos podem constituir em uma outra forma de se obter vitamina D.

Há necessidade de usar suplementos que contenham vitamina D?

Recomenda-se a ingestão de 800 Unidades Internacionais de Vitamina D ao dia. As pessoas que não consumam alimentos ricos em vitamina D diariamente e que não se expoem ao sol podem precisar de suplementos de vitamina D.

O médico pode orientar a melhor forma de se usar o suplemento e a dose adequada de vitamina D ao dia.

A vitamina D não pode ser ingerida em excesso. Nessa situação, ela também pode trazer riscos à saúde.

Muito Além do Peso

Muito Além do Peso.

Esse documentário é excelente e mostra a situação grave que estamos enfrentando do aumento da prevalência da obesidade na infância.

Essas crianças serão adultos obesos, terão uma expectativa de vida menor e muitos problemas de saúde associados.

Toda a sociedade e os órgãos públicos deveriam se envolver nessa batalha contra a obesidade infantil.

Estimulando a Atividade Física – Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

Estimulando a Atividade Física – Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

 

Estimulando a Atividade Física

Não é de hoje que o aumento no número de casos de obesidade está em discussão entre as sociedades médicas de todo o mundo. A cada ano que passa se torna mais evidente que é necessário conscientizar a população e tornar a atividades física parte da rotina diária.

No Brasil, por exemplo, quase metade da população está acima do peso (48,5%), sendo que dessa taxa, a prevalência maior é entre os homens, que apresentam um índice de 52,6%, entre as mulheres essa tava é de 44,7%. Os dados são de uma pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde em 2012.

Mas apesar desta necessidade de se exercitar, muitas pessoas têm dificuldade em começar uma atividade física ou até mesmo se identificar com alguma delas. Pensando nisso, empresas e organizações em todo o mundo começaram a utilizar o espaço publicitário como forma de estimular hábitos de vida mais saudáveis, de forma interativa e divertida.

Um bom exemplo foi a ação feita pela Volkswagen na Suécia, com a campanha The Fun Theory (Teoria da Diversão), com a qual a empresa conseguiu estimular as pessoas que passavam por uma estação de metrô a usarem as escadas convencionais ao invés da rolante de uma maneira bem divertida: ela transformou a escada em um grande piano, onde cada degrau era uma tecla.

Inspirado nessa ação, o Projeto SESC Verão 2013 trouxe a atividade para o Brasil, na Grande São Paulo, em uma estação de trem de Osasco. Os 42 degraus do local também foram adaptados e transformados em teclas de piano. Confira nos vídeos o resultado das ações:

Outras duas campanhas também seguem o estilo exercício com diversão. Na praia de Icaraí, Niterói, foram montadas duas pick-ups gigantes de DJ, onde os frequentadores moviam os vinis como esteiras de uma academia para criar diferentes músicas. No final da brincadeira, foi exibida a mensagem: “Vocês perderam 2.000 calorias”. Esse mesmo conceito foi utilizado na França, mas dessa vez o público presente tinha que usar bicicletas ergométricas para conseguir ver a mensagem no final da projeção. Confira nos vídeos a seguir.

Seguindo a mensagem que cada uma dessas campanhas quer passar, o mais importante é se divertir enquanto pratica sua atividade física favorita, seja de uma simples caminhada ou pelada na beira do mar, ou uma série pesada na academia. O importante é se sentir bem. E você, o que faz para estimular sua atividade física?

Menopausa

O que é menopausa?

A menopausa é o nome que se dá ao momento em que a mulher deixa de ter a menstruação. O que acontece nessa fase é que os ovários deixam de produzir os hormônios estrógeno e progesterona. A menopausa geralmente ocorre entre 45 e 55 anos; a idade média da ocorrência da menopausa é 51 anos.

Como saber se a menopausa está próxima?

A maioria das mulheres começa a se preocupar com a menopausa quando há alguma alteração no ciclo menstrual. As alterações que comumente podem ser encontradas são:

  • Ciclos menstruais mais ou menos frequentes que habitualmente acontecia (por exemplo, a cada 5 ou 6 semanas em vez de a cada 4 semanas)
  • Sangramentos que duram menos dias
  • Irregularidade menstrual, com falha de um ou mais ciclos
  • Sintomas de menopausa, como ondas de calor

No caso de mulheres que foram submetidas a cirurgia de retirada do útero (histerectomia), pode ser mais difícil identificar a menopausa. As alterações menstruais não estarão presentes; mas podem haver os sintomas clínicos.

Se os ovários tiverem sido removidos, acontece uma “menopausa cirúrgica”. Nesse caso, a menopausa ocorre de forma precoce, porque não haverá mais os ovários para produzir os hormônios estrógeno e progesterona.

Quais são os sintomas da menopausa?

Algumas mulheres passam pela menopausa sem que apresentem nenhum sintoma além da interrupção dos ciclos menstruais. Mas muitas mulheres apresentam um ou mais dos sintomas a seguir:

  • Ondas de calor – calor e transpiração que geralmente se inicia no tórax e na face e se espalha para todo o corpo. Geralmente essas ondas de calor começam a aparecer antes mesmo da interrupção completa dos ciclos menstruais.
  • Transpiração noturna – quando as ondas de calor ocorrem durante o sono, elas são chamadas de “sudorese noturna”. Ela pode dificultar que a mulher tenha um sono de boa qualidade durante a noite.
  • Problemas para dormir – durante a transição para a menopausa, algumas mulheres podem ter dificuldade para pegar no sono ou podem ter insônia de madrugada. Esse problema pode acontecer independentemente das ondas de calor noturnas.
  • Secura vaginal – a menopausa pode levar ao ressecamento da mucosa da vagina e das regiões próximas, além de atrofia da pele. Esse ressecamento vaginal pode tornar a relação sexual dolorosa e desconfortável.
  • Depressão – durante a transição para a menopausa, algumas mulheres podem apresentar sintomas de depressão; esse problema é mais frequente nas mulheres que já tiverem um histórico de depressão previamente. Os sintomas de depressão incluem:
  1. Tristeza
  2. Perda do interesse nas coisas ou na realização das tarefas habituais
  3. Aumento ou redução do sono
  • Problemas de concentração ou de memória – podem ser decorrentes da falta de um descanso adequado à noite ou pela falta de estrógeno. Alguns estudos têm demonstrado que o estrógeno tem importância para um funcionamento cerebral adequado.

Quando procurar um médico?

Se começar a haver alteração no ciclo menstrual e a mulher tiver 45 anos ou mais, deve-se pensar em menopausa e um médico deve ser consultado. Se houver sintomas que estejam incomodando, deve-se sempre procurar o médico para discutir a questão.

Deve-se procurar um médico se:

  • houver sangramentos a intervalos menores que a cada 3 semanas
  • houver intensificação do fluxo menstrual
  • houver pequenos sangramentos entre os ciclos
  • a mulher já estiver na menopausa e começar a apresentar sangramentos novamente, mesmo que em pequena quantidade

Há um exame para identificar a menopausa?

Há um exame que pode sugerir fortemente a menopausa. Ele é pedido com maior frequência no caso de mulheres mais jovens e já com suspeita de uma menopausa precoce.

Pode-se engravidar?

Enquanto houver ciclos menstruais, mesmo que a frequência esteja reduzida, pode-se engravidar. Se não houver desejo de uma gestação, deve-se usar um método contraceptivo. Se houver interrupção dos ciclos por mais de 1 ano, provavelmente não há mais risco de gravidez.

Como são tratados os sintomas da menopausa?

Os tratamentos incluem:

  • Hormônios – o estrógeno é o tratamento mais efetivo para os sintomas da menopausa. As mulheres que fazer uso do estrógeno, frequentemente, necessitam usar outro hormônio concomitante, que é a progesterona. Embora esses hormônios sejam muito efetivos, eles podem levar a outros problemas e efeitos colaterais. Deve-se sempre conversar com o médico para discutir o uso de tratamentos hormonais pós menopausa.
  • Antidepressivos – eles melhoram as ondas de calor e os sintomas depressivos.

Como cuidar dos ossos após a menopausa?

  • Fazer uso de suplementos de cálcio e vitamina D
  • Manter-se ativa (os exercícios ajudam no fortalecimento ósseo)
  • Em alguns casos, podem estar indicados medicamentos que ajudem na formação óssea.

Cirurgia bariátrica

O que é cirurgia bariátrica?

A cirurgia bariátrica inclui várias técnicas cirúrgicas diferentes com o mesmo objetivo de reduzir o tamanho do estômago. Os dois procedimentos mais comuns são a banda gástrica e a cirurgia em Y de Roux. O objetivo da cirurgia é fazer com que a pessoa se sinta satisfeita mais rápido, coma menos e perca peso.

O que é a banda gástrica?

Uma banda de silicone é colocada ao redor da porção superior do estômago. O médico pode ajustar a banda após a cirurgia para controlar a redução de peso.

O que é Y de Roux?

Cria-se um desvio do estômago com o intestino, o que faz com que se reduza o trajeto do alimento pelo intestino delgado. Isso leva a menor absorção de calorias dos alimentos, levando a perda de peso.

Quem pode se submeter a cirurgia bariátrica?

Pessoas com índice de massa corporal (IMC) de 40 kg/m2 ou maior, ou pessoas com o IMC acima de 35 com outra patologia associada, como diabetes, e que não conseguiram redução de peso de outras formas.

Pode-se comer normalmente após a cirurgia?

Há recomendações estritas que devem ser seguidas após o cirurgia bariátrica no que diz respeito à alimentação. Não se conseguirá comer como se comia antes da cirurgia, mas a fome estará bem menor também.

Hirsutismo

O que é hirsutismo?

Hirsutismo é o termo médico para o excesso de pelos no corpo da mulher. Os pelos são escuros e grossos e crescem em locais em que apenas homens deveriam ter pelos grossos e escuros. Esses locais incluem a área acima dos lábios, queixo, região lateral da face, tórax, costas, abdome. O hirsutismo é comum. Ele afeta cerca de 1 em cada 10 mulheres em idade fértil.

O que causa o hirsutismo?

Muitas mulheres têm aumento da quantidade de pelos corporais devido aos antecedentes familiares. Nesses casos, embora possam trazer desconforto, não são decorrentes de alterações hormonais. Outras mulheres apresentam hirsutismo devido a elevação dos níveis de hormônios masculinos, chamados andrógenos. A testosterona é o andrógeno mais importante e seus níveis são elevados nos homens; mas as mulheres costumam ter níveis muito mais baixos.

A disfunção que mais frequentemente causa elevação dos níveis de andrógenos nas mulheres é a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP). Essa disfunção também pode causar alteração do ciclo menstrual, ganho de peso, acne e outros sintomas.

Há doenças mais graves que também cursam com o hirsutismo: tumores dos ovários ou das adrenais; mas felizmente essas doenças são muito raras.

Quais são os sintomas que podem aparecer?

Outros sintomas da SOP são:

  • Irregularidade menstrual
  • Acne
  • Queda de cabelos
  • Ganho de peso ou obesidade

Quando procurar um médico?

  • Quando o hirsutismo aparece de repente ou piora rapidamente
  • Quando houver suspeita de SOP
  • Quando estiver incomodada pelo excesso de pelos e quiser um tratamento

Há exames que devem ser feitos?

Os exames para avaliação podem variar de acordo com a idade, sintomas associados e situação individual.

Alguns exames possíveis são:

  • Exames de sangue para verificar os níveis hormonais
  • Ultrassonografia pélvica para avaliar o útero e os ovários
  • Outros exames de imagem, como tomografia ou ressonância, quando houver suspeita de um tumor

Há algum tratamento?

Sim. Se houver sobrepeso ou obesidade, a redução do peso pode melhorar os níveis dos andróginos e melhorar os sintomas. A redução de apenas 5% do peso já é de grande ajuda.

Como se trata o hirsutismo?

Isso depende da causa e dos sintomas. Alguns tratamentos possíveis incluem:

  • Anticoncepcional oral: tratamento mais comum; ajuda a regularizar o ciclo menstrual e a melhorar os níveis hormonais.
  • Medicamentos chamados anti-androgênicos, que reduzem os níveis dos andróginos ou bloqueia a sua ação no organismo.
  • Remoção ou clareamento dos pelos.

Hipertireoidismo

O que é hipertireoidismo?

O hipertireoidismo é uma doença que pode fazer com que a pessoa tenha tremores e sinta-se ansiosa e cansada.

A causa mais comum de hipertireoidismo é a doença de Graves.

A tireóide é uma glândula localizada na parte anterior do pescoço. Ela produz hormônio tireoidiano, que é importante para controlar o gasto energético do corpo.

O hipertireoidismo é o nome dado ao excesso de hormônio tireoidiano no corpo.

Quais são os sintomas de hipertireoidismo?

Algumas pessoas com hipertireoidismo não referem sintomas.

Quando há sintomas, eles podem incluir:

  • Ansiedade, irritabilidade, insônia
  • Fraqueza muscular (especialmente em braços e pernas, o que pode dificultar pegar coisas pesadas ou subir escadas)
  • Tremores
  • Transpiração excessiva e intolerância a ambientes muito quentes
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Cansaço
  • Perda de peso, mesmo comendo normalmente
  • Aumento da frequência de evacuações

O hipertireoidismo também pode causar um aumento no volume da parte anterior do pescoço que se chama bócio. Se a causa do hipertireoidismo for a doença de Graves, também pode-se notar os olhos mais proeminentes.

Nas mulheres, o hipertireoidismo pode levar a interrupção dos ciclos menstruais e dificultar engravidar. Nos homens, o hipertireoidismo pode levar a ginecomastia (aumento das mamas em homens) e levar a problemas sexuais. Essas alterações são resolvidas com o tratamento do hipertireoidismo.

Há exames para identificar o hipertireoidismo?

Há exames de sangue que identificam o hipertireoidismo. Se houver alteração no exame, outros exames de sangue ou complementares podem ser necessários.

Como se trata o hipertireoidismo?

O hipertireoidismo pode ser tratado com:

  • Medicamentos – Dois tipos de remédios podem ser utilizados:
  1. Drogas antitireoidianas: reduzem a quantidade de hormônio que a tireóide produz.
  2. Betabloqueadores: ajudam a controlar os sintomas do hipertireoidismo; eles melhoram o conforto clínico até que o desbalanço tireoidiano seja controlado.
  • Iodo radioativo – ele é ingerido e causa destruição da tireóide. Esse tratamento é contra-indicado em gestantes, porque pode haver destruição da tireóide do bebê também. A quantidade de radiação usada é pequena e é um tratamento seguro. Ele não aumenta a chance de câncer nem causa dificuldade para engravidar no futuro ou outros problemas em futuras gestações.
  • Cirurgia – a cirurgia pode ser feita para retirar parte ou a totalidade da tireóide. Ela está indicada em alguns casos específicos.

A maioria das pessoas que se submetem ao iodo radioativo ou à cirurgia, acabam evoluindo para hipotireoidismo, situação em que a tireóide não consegue mais produzir a quantidade necessária de hormônio tireoidiano. Nesses casos, há necessidade da reposição do hormônio através de medicamentos por toda a vida.

Se houver desejo de engravidar?

Deve-se sempre conversar com o médico antes de engravidar. É importante que os níveis de hormônio tireoidiano estejam normais antes da gestação. Além disso, depois do iodo radioativo, deve-se esperar, no mínimo, 6 meses para se programar uma gravidez.

Os níveis dos hormônios devem ser verificados com frequência durante a gestação; eles devem sempre ser mantidos em níveis normais para evitar problemas para a mãe e para o bebê.

Hormônios

O que é um hormônio?

O hormônio é uma molécula produzida em um órgão do corpo e que será secretada na corrente sanguínea e exercerá uma função em outro órgão, controlando a secreção de outros hormônios ou regulando funções específicas.

Síndrome dos Ovários Policísticos

O que é Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP)?

É uma condição clínica que acontece nas mulheres e que pode levar à mulher apresentar irregularidade menstrual, acne (pele oleosa e espinhas), aumento de pelos no rosto ou queda de cabelos. Essa alteração também pode causar dificuldade para engravidar.

É uma alteração comum; cerca de 5% de todas as mulheres apresentam SOP.

O que causa SOP?

Nas mulheres com SOP, os ovários não funcionam muito bem.

Cerca de 1 vez por mês, os ovários devem produzir folículos, que produzem hormônios após o seu crescimento. Então, o folículo
libera um óvulo; esse processo se chama ovulação.

Entretanto, nas mulheres com SOP, os ovários produzem vários folículos pequenos em vez de um único folículo grande. Os níveis
hormonais ficam desregulados e a ovulação não ocorre todos os meses, como deveria acontecer.

Quais são os sintomas de SOP?

As mulheres com essa alteração podem apresentar:

  • Menos de 8 ciclos menstruais por ano
  • Ganho de peso e desenvolver obesidade
  • Crescimento de pelos grossos e escuros em lugares onde apenas homens tendem a apresentar pelos, como acima do lábio superior, queixo, tórax, abdome
  • Queda de cabelo
  • Acne (pele oleosa e espinhas na face)
  • Dificuldade para engravidar

Deve-se procurar um médico, mesmo que os sintomas sejam discretos?

Sim. As mulheres com SOP têm maior predisposição a apresentar outros problemas de saúde; entre eles:

  • Diabetes
  • Aumento nos níveis de colesterol
  • Doença cardíaca
  • Apnéia do sono (uma doença do sono que causa curtas interrupções da respiração enquanto a pessoa dorme)

Há exames que devem ser feitos?

O médico orienta sobre os exames que devem ser realizados baseados na idade, sintomas e situação individual. Podem ser solicitados:

  • Exames de sangue para avaliar os níveis hormonais, glicemia e colesterol
  • Teste de gravidez se houve falha de algum ciclo menstrual
  • Ultrassonografia pélvica

Como é tratada a SOP?

O tratamento mais comum é feito com anticoncepcional oral. A pílula anticoncepcional não cura a doença, mas melhora bastante os sintomas, além de proteger as mulheres com SOP do desenvolvimento de câncer do útero.

Outros tratamentos para os sintomas de SOP são:

  • Anti-androgênicos: esses medicamentos bloqueiam os hormônios que causam alguns dos sintomas de SOP.
  • Progestágeno: esse medicamento ajuda a regularizar os ciclos menstruais, mas apenas se for usado regularmente todos os meses. Ele também ajuda a reduzir o risco de câncer.
  • Metformina: esse medicamento pode ajudar a regularizar os ciclos menstruais, mas ele funciona apenas em cerca de metade das mulheres nas quais ele é usado. Em diabéticas, esse medicamento também ajuda a controlar
    a glicemia.
  • Cremes para a pele ou antibióticos quando há acne
  • Tratamento com laser ou eletrólise para remover o excesso de pelos.

Há algum cuidado adicional para ajudar a tratar a doença?

Sim. Se você tiver sobrepeso ou obesidade, perder peso pode ajudar a melhorar muitos dos sintomas. A redução de apenas 5% do peso corporal pode ajudar muito.

E se eu quiser engravidar?

Não perca as esperanças. A maioria das mulheres com SOP são capazes de engravidar, mas pode demorar um pouco mais. Se estiver acima do peso, perder peso pode ajudar a regularizar os ciclos menstruais e aumenta as chances de engravidar. Se houver perda de peso, mas os ciclos menstruais continuarem irregulares, o médico pode prescrever medicamentos capazes de
estimular a ovulação e aumentar as chances de engravidar.

Como minha vida será?

As mulheres com SOP levam uma vida normal.

Mas é importante consultar um médico. Os tratamentos ajudam a melhorar os sintomas e a proteger de outras doenças.